quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Quantas mortes numa vida
Quanta vida numa morte.

janeiro /2011
No sonho a carta
nele o telefonema
dentro deste a voz

distante e oca
fria na distância
daquele telefone impessoal

No sonho a carta
nele a conversa
e dentro desta o adeus.

30/01/2012

No sonho
a porta

de vidro quadriculado

dois lados

dois seres

separados.

01/02/2012
Amanheço
em qual janela ?
Desconheço.

Anoiteço
com que alma?
Desconheço.

07/11/2011
Arvoredo
quem se esconde?
tenho medo.

07/11/2011
olhos sábios de vida
sorriso cansado de sorrir
velhas mãos enrugadas
é tempo demais para mim.

07/11/2011

life-wise eyes
a smile tired of smiling
old wrinkled hands
too much time for me.

07/11/2011
Silêncio surdo-mudo
Ecos de minha solidão
Falam muito
Dizem tanto
Ecos de minha solidão.

07/11/2011

Deaf and dumb silence
My solitude echoes
They say so much
and mean too much
My solitude echoes.

07/11/2011
PARAGENS

Voltar prá onde ?
(Regressar...)
Tantos paradeiros
quantas vidas
e endereços...
Voltar prá onde?
(Reconhecer...)
Tantos rostos
quantos destinos
e recomeços...
Voltar prá onde?
(Reviver...)
Tantos sonhos
quantos despertares
e mais um anoitecer.

07/11/2011

BORDADOS

BORDADOS

Nos bastidores do dia-a-dia
surgem bordados
ora perfeitos sem avesso
ora avessos de ambos os lados.

Com nós,fiapos e sem arremates.

Riscos arriscados
confusos,embaralhados.
Emaranhados
difíceis,complicados.

08/11/2011

Dia -a-dia
eterno aprendizado.

Bordados - Sonia A.





miçangas
continhas de vidro
botões e vidrilhos
estrelinhas

entrelinhas

Você leu ?

setembro /2012
os olhos do morto
fechados
veem longe
alem do horizonte
veem tudo
e muito alem.

27/9/2012

a dead man's eyes
closed
see far away
beyond the horizon
see everything
and further away.

27/9/2012

Exposição da Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto

                                    Exposição da Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto
                                    Setembro / 2012-Centro Cultural Palace-Quarteirão Paulista
                                 "SILÊNCIO " EM HIPNOSE ."Acrílica s/ tela - 0,70 m x 1,00 m-2011- Sonia A
                                                  (homenagem ao Dr. Motta Lima,hipniatra).



quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Mail Art Project :"Cavellini"s Centenary"-Itália

                                   Acrílica,desenho em pena & Indian Ink e colagem sobre papel
                                                  29,5 cm x 21 cm -Setembro de 2012
                                                        Enviada para Brescia ,Itália

DO AMOR(...) e outros

Do amor não falo
              não entendo
             sou aprendiz

Do amor busco o secreto
                           completo
prá me fazer feliz

Do amor não falo
              só sinto
              e procuro

Será que esta busca jamais terá fim ?
04/9/2009
###########################

          CARROSSEL

         Gira...gira...gira...
         Vejo / passa
         Vejo / perco
         Vejo / não vejo mais !

        É como vivo :
    em círculos atordoantes,
   ora vislumbrando o caminho,
   ora perdendo o rumo.

      Vejo / passa
      Vejo / perco
      Vejo / não vejo mais.
14/9/2009
#########################

              IDEIA FIXA 

                 ideia fixa
                cola,gruda
                vai e volta
               ecoa muda.

          venci ? superei ?

               ideia fixa
               rola,gruda
              vai e volta
             e me desnuda.
13/5/2010





PINTURA( E OUTROS)

Carmim,azul,cinza tambem.
Amarelo ,te quero
te uso ,lambuzo,te quero bem!
****************************

           CEGUEIRA

Colorindo o mundo
a paleta sei de cor:
verdes são teus olhos e é só.
*****************************

       DESENCANTO

Calado Calado Calado
Que pensas de mim?
Um caso acabado.
Mais um que teve fim.
****************************

      TRISTEZA

Olhos marejados,enluarados
olhos perdidos,desencantados
olhos de sal.
****************************

    DEZ ANOS

Olhos vivos e atentos
Cabecinha maquinando curiosa
Pernas longas,ágeis,inquietas.

Brincadeiras ainda infantis
Outro tanto de perguntas bem sutis:
Dúvidas e questionamentos.

Nem menina ,nem mulher
Quase menina -moça.
24/8/2009


MÃO ÚNICA

Cartas escritas,lidas...
nunca respondidas.
Vazios,silêncios,
verdades não ditas.

Badaladas na Noite

      

eu insone
viajo acordada
nas asas da imaginação.

Até onde ?

Até que o cansaço
 me vença
 e o sono me enlace
em seus braços quentes
                        envolventes
                        entorpecentes.

18/7/12

FRIO

Frio rabugento
       catavento
       arrepio

Frio lamuriento
pé de vento
assobio

Frio.
18/7/12